Manual do usuário Web - AGOS

From Aligera Docs
Jump to navigation Jump to search

Introdução


AGOS (Aligera Operational System) é a distribuição Linux da Aligera que é embarcada nos Media Gateways.

A versão atualizada deste manual apresenta procedimentos de configuração utilizando a interface Web na versão 4.55.10 do AGOS. Versões anteriores a esta podem haver divergências, consulte nosso suporte para verificar a possibilidade de atualização. Para versões do AGOS3 (7.3.xx) utilize a versão própria de manual.


A Aligera não assume responsabilidade por quaisquer danos causados a indivíduos ou propriedade ocasionados pelo uso incorreto deste equipamento, seja por não conformidade com as informações, recomendações e avisos apresentados nos guias e manuais de usuário, modificações realizadas no aparelho, tentativas de reparo fora da rede autorizada, operação por pessoa não qualificada, utilização de aparelho defeituoso ou uso de acessórios e partes não fornecidas pelo fabricante.

A Aligera se reserva o direito de alterar as especificações contidas neste documento sem notificação prévia. Nenhuma parte deste documento pode ser copiada ou reproduzida em qualquer forma sem o consentimento por escrito da Aligera Equipamentos Digitais.

Recomendações de Segurança


Para evitar acidentes que possam causar ferimentos em pessoas ou danificar equipamentos, leia as recomendações a seguir antes de fazer a instalação.

  • Mantenha o equipamento distante de qualquer líquido.
  • Não abra o equipamento.

Antes de ligar o equipamento à rede elétrica certifique-se que o equipamento está bem acondicionado. A rede elétrica deve ser estabilizada e com o aterramento conforme as normas técnicas vigentes.


Primeiro acesso


O IP padrão do equipamento é 192.168.1.10 com máscara de rede 255.255.255.0. O IP padrão está configurado na interface Ethernet 1.

O PC do usuário deve possuir a configuração de rede que se encontra no mesmo segmento de endereço IP e máscara de rede do equipamento.

Certifique-se que o cabo de rede esteja conectado corretamente. Na barra de endereços do navegador digite https://192.168.1.10 aparecerá a página mostrada na figura abaixo:

Para acessar a interface de configuração entre com o usuário admin e senha aligera. Altere a senha após o primeiro acesso por medida de segurança.

Administration

User


System users

A manutenção dos usuários de acesso ao sistema AGOS é realizada no menu System users disponível em Administration/User, através deste é possível adicionar, alterar e excluir usuários.

O usuário admin é o principal usuário do sistema AGOS, desta forma não é permitido ser removido ou alterado seu nível de privilégio.


Os usuários podem possuir níveis de privilégios diferentes, conforme descrito abaixo:

Privilege Level Descrição
Admin Possui os mesmos privilégios do usuário admin.
User Possui privilégios limitados, não possui permissão para alterações nas configurações.
SFTP Possui privilégio apenas para conexões SFTP.


Após efetuadas as configurações de usuários, salve as configurações clicando em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

System

System Info

Informa os dados sistema: Modelo do hardware, número de série e tempo em que o sistema esta em operação desde o último reinício.

Firmware

Informa a versão de firmware instalada no equipamento, e possibilita sua atualização.

-O processo de atualização deve ser sempre realizado para uma versão posterior à instalada no equipamento, nunca para uma versão anterior. Não nos responsabilizamos por quaisquer efeitos colaterais decorrentes de downgrade não suportado.
-A atualização deve ser sempre realizada para um release da mesma familia, por exemplo, se a versão do gateway for 7.3.xx, o mesmo deve ser sempre atualizado para uma versão 7.3.xx. Se for 4.xx.xx ou 4.xx, deve ser sempre atualizado para uma versão 4.xx.xx.

Durante o processo de atualização, não remova a energia do equipamento.

Obrigatóriamente antes de atualizar para versões superiores a 4.54, é necessário efetuar a atualização para o firmware 4.54  (agos-gateway-4.54.bundle), e somente após a conclusão deste update partir para a atualização da versão em questão. Esta etapa é válida somente quando o equipamento estiver em versões de firmware anteriores a 4.54.

Atualização:

Acessar o equipamento preferencialmente através da rede principal (aquela com o default gateway)
Realizar o backup de configurações do equipamento através da interface WEB e da CLI:
-Backup através da interface WEB: Administration > Configuration Management
-Backup através da CLI: executar o comando "config show". Copie o texto e salve em um arquivo do bloco de notas
Certifique-se de que o arquivo de backup gerado através da interface WEB esteja íntegro.
Faça a atualização a partir do arquivo *.bundle.

Após a instalação o gateway imprime uma mensagem de confirmação “Success on firmware upgrade” e após retorna para a página inicial.

Após o processo de atualização, caso o sistema informe a necessidade de ativar as configurações, proceda com a mesma através do menu "Configuration Management".

License

Exibe com detalhes as licenças carregadas no sistema. Através deste menu é possível carregar novas licenças ou ampliar a quantidade de licenças existentes de acordo com a capacidade do hardware.

Physical Interfaces

Exibe a quantidade de interfaces presentes no hardware.

Reboot Device

Efetua o reinicio do sistema operacional, neste processo as configurações serão mantidas.

Configuration Management


Exibe o horário configurado no equipamento, e disponibiliza a ferramenta para execução de backups e restores.



Através da função Activate as configurações previamente salvas passam a ser aplicadas no sistema. Sempre que for necessário ativar uma configuração salva o sistema irá exibir o ícone ao lado do nome do equipamento no topo da tela.

Ao aplicar as novas configurações uma mensagem informativa exibirá os serviços afetados, dependendo das alterações efetuadas, esta operação poderá impactar no tráfego de voz momentaneamente, esta interrupção é previamente informada.


Utilizando a função Save Current Configuration as configurações aplicadas do sistema são direcionadas para uma lista de configurações salvas.

Os ítens da lista de configurações salvas podem ser exportados para um arquivo externo a ser salvo no PC do usuário, bem como restaurar para o sistema. A lista armazena uma quantidade limitada de arquivos de configurações, apagando os mais antigos automaticamente ao criar novos. Para evitar a deleção de um arquivo da lista, basta favoritar o mesmo, marcando a estrela ao lado esquerdo do nome.


Através do botão "Restore Defaut" é possível restaurar todas as configurações do equipamento, com exceção das configurações de login e de rede. Para restauração completa das configurações utilize a interface CLI.

É possível importar uma configuração previamente salva através da função "Upload Configuration File". Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Logging


Ferramentas destinadas a análise, mapeamento de tráfego e diagnóstico do equipamento, auxiliando no tratamento de anormalidades.

Não é necessário executar Activate ao habilitar ou desabilitar logs e capturas, ao selecionar a opção desejada o sistema já inicializa o processo de coleta instantaneamente.

Os tipos de logs e capturas disponibilizados estarão condicionados as licenças instaladas.

Logging Settings

O início da coleta dos logs é iniciada ao habilitar o respectivo tipo, após alcançado um limite fixo de tamanho do arquivo a coleta é finalizada, caso deseje recomeçar uma nova coleta desabilite e habilite novamente. Os arquivos gerados poderão ser visualizados em editores de texto simples.

Logs disponíveis para licenças SS7 e SIPi:

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
SIP Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug do SIP. Caso contrário, Disabled.
SS7 Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug da sinalização SS7. Caso contrário, Disabled. Disponível apenas para licenças SS7
Full Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug de todas as sinalizações. Caso contrário, Disabled.


Logs disponíveis para licenças MFC/R2 e ISDN:

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
SIP Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug do SIP. Caso contrário, Disabled.
MFC/R2 Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug da sinalização MFC/R2. Caso contrário, Disabled.
ISDN Debug Selecione Enabled para habilitar as mensagens de debug da sinalização ISDN. Caso contrário, Disabled.
Full Debug Selecione Enabled para habilitar todas mensagens de sinalização. Caso contrário, Disabled.

Packet Capture Settings

O início da captura é iniciada ao habilitar o respectivo tipo, após alcançado um limite fixo de tamanho do arquivo a captura é finalizada, caso deseje recomeçar uma nova captura desabilite e habilite novamente. Os arquivos gerados poderão ser visualizados em programas de analise de tráfego de rede.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
SIP Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo SIP. Caso contrário, Disabled.
RTP Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo RTP. Necessário habilitar a captura de mensagens SIP previamente. Caso contrário, Disabled.
SS7 Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo SS7. Caso contrário, Disabled. Esta captura estará disponível apenas em Links com Local Signaling habilitado.
M2PA Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo M2PA. Caso contrário, Disabled.
M2UA Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo M2UA. Caso contrário, Disabled.
H.248 Selecione Enabled para habilitar a captura das mensagens do tipo H.248. Caso contrário, Disabled.

Other Logs

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Authentication Logs Efetua o download do arquivo de log com os registros de autenticação.
System Logs Efetua o download dos arquivos de log do sistema AGOS, utilizados em análises detalhadas de anormalidades.

sngrep Capture Files

Os arquivos sngrep de captura disponibilizados para download correspondem as capturas efetuadas pela interface CLI, utilizando a ferramenta sngrep. É disponibilizado o último arquivo salvo. É possível efetuar o download ou deleção do arquivo.

Os arquivos gerados poderão ser visualizados em programas de analise de tráfego de rede.

Configuration


A configuração do gateway é feita via interface WEB ou através de uma interface de comandos de linha (CLI). Este manual trata da interface de configuração web.

Network


Configurações das interfaces de rede do equipamento.

Recomendamos o uso da interface ethernet 1 para a gerência de configuração, manutenção do equipamento e acesso a serviços adicionais e a interface ethernet 0 seja utilizada para o tráfego de voz. Esta forma garante um acesso à interface de gerência em um canal separado do tráfego de voz.



Cada uma das interfaces é configurada clicando diretamente sobre o nome a ela atribuído. Ao clicar, a seção da configuração da interface se expande mostrando a tela a seguir:


Configure os campos de acordo com sua necessidade, seguindo as orientações abaixo:

Campo Descrição
Mode Modo de funcionamento da interface ethernet N.

DHCP: Selecione esta opção caso deseje que o gateway receba o endereço IP através de um servidor DHCP.

Static: Selecione esta opção para atribuir ao gateway um endereço IP.

IP Address Endereço IP da interface Ethernet N.
Network Mask Máscara de rede da interface Ethernet N.


Para cada interface de rede no equipamento é possível configurar VLANs e ALIAS (apelido de interface). O equipamento aceita 128 VLANs e 64 ALIAS. Se o usuário realizar uma tentativa de superar estes números, um alerta será exibido, no canto inferior da página:

Para adicionar uma VLAN ou ALIAS na interface, clique nos botões "+add VLAN" ou "+add Alias" . Será adicionada uma nova linha na tabela de VLANs (o mesmo se aplica para ALIAS).


Na seção General Settings é possível configurar os servidores de nome de domínio e gateway padrão. Caso estes endereços sejam atribuídos por DHCP eles serão sobrescritos pelos configurados de forma explícita nesta seção. Para excluir o endereço configurado deixe o campo em branco.

Campo Descrição
Hostname Nome atribuído ao equipamento
Default Gateway Endereço IP do servidor responsável pelo roteamento
Primary DNS Server Endereço IP do servidor de nome de domínios
Secondary DNS Server Endereço IP para um segundo servidor de nome de domínios


Após efetuadas as configurações de rede, salve as configurações clicando em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Static Routes


O equipamento possui duas ou mais interfaces Ethernet independentes. Em alguns cenários pode ser necessária a configuração de rotas estáticas para o direcionamento correto do tráfego.

Tela de configuração das rotas estáticas :


Configure o nome da rota, endereço de rede, gateway e interface de acordo com a tabela abaixo.

Campo Descrição
Name Nome para a rota estática
Address/Mask Endereço IPv4 com a máscara da rede de origem. Utilize o formato xxx.xxx.xxx.xxx/yy
Gateway Endereço IPv4 do gateway no formato xxx.xxx.xxx.xxx
Device Interface de saída da rota.

Atenção: Neste campo de seleção serão apresentadas somente as interfaces existentes no equipamento. Estas interfaces podem ser VLANs ou ALIAS.

Somente serão exibidas interfaces que estejam em modo estático.

Metric Métrica utilizada na rota.

Valor padrão: 100


Para adicionar uma nova rota clique no ícone ✔, após configurar todos os parâmetros. Se todos os parâmetros estiverem corretos, a nova rota estática será adicionada na tabela. Após finalizar a configuração, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

SIP


Nesta seção são realizado as configuração dos parâmetros SIP.


Como a figura acima mostra, a configuração padrão do SIP deste equipamento possui um peer configurado, podemos editar este peer ou configurar um novo. Para editar, expanda a configuração do peer clicando em cima do nome (neste caso, trunk1).


Para adicionar um novo peer no equipamento clique em Add Peer, na parte inferior da página. Porém, ao começar uma nova configuração de peer, os principais botões desta página ficarão bloqueados até o usuário informar um Server Host válido. O nome do novo peer é atribuído dinamicamente podendo ser alterado pelo usuário. Para remover um peer clique em ✖. A tabela abaixo exibe os valores possíveis de configuração de um peer.

Campo Descrição
Allow Premature Media Configura se pacotes RTP são permitidos em uma ligação SIP, antes que a mesma seja estabelecida com 183 session in progress ou 200 ok.

Configuração Padrão: yes

Listening Port Porta em que o equipamento irá receber as requisições e respostas SIP. É uma configuração global do SIP.
Peer name Nome do peer
Server Host Servidor (softswitch ou SBC) no qual o gateway irá se conectar. Este campo aceita as opções de endereço IP ou nome do host. Caracteres especiais não são aceitos.
Server Port Porta do servidor que será utilizada para troca dos pacotes SIP.
Username Nome da conta SIP no caso de autenticação por usuário e senha.
Password Senha da conta SIP no caso de autenticação por usuário e senha.
Register Configura o envio de informações de registro a um servidor. Selecione Enabled nos casos em que é necessário o registro da conta SIP. Caso contrário, Disabled.

Configuração Padrão: Disabled

DTMF Mode Padrão na geração e detecção DTMF's

RFC2833: Neste modo os tons de DTMFs recebidos pelas interfaces E1 vão ser gerados fora do canal de áudio para o lado SIP. Nas ligações vindas da conta SIP o gateway vai interpretar e gerar o tom para as interfaces E1;

Info: Neste modo os tons de DTMFs recebidos pelas interfaces E1 serão gerados fora do canal de áudio para o lado SIP. Nas ligações vindas da conta SIP o gateway vai interpretar e gerar os tons para as interfaces E1 utilizando o método descrito na RFC2976;

Inband: Neste modo os tons de DTMF são mantidos in-band também nos pacotes de áudio. Este modo não funciona adequadamente com codec G.729.

SRTP Os pacotes são criptografados usando SRTP (Secure Real-Time Transport Protocol). Selecione Enabled para habilitar a criptografia dos pacotes RTP. Caso contrário, Disabled.

Configuração Padrão: Disabled

T.38 Suporte ao protocolo T.38 para a transmissão de fax.

Enabled - Suporte a T.38 habilitado.

Disabled - Suporte a T.38 desabilitado, porém responde quando requisitado.

Unsupported - T.38 não suportado.

Configuração padrão: Enabled

Codecs Os codecs estão classificados em duas colunas. Clique no codec e arraste para coluna Enabled ou Disabled de acordo com a configuração de codecs desejada.

Taxa de utilização de banda:

G.711 (alaw e ulaw): 64Kbps

G.729: 8Kbps

G.722: 64kbps

AMR Narrow Band (4.75kbps - 12.2kbps) *Configurável apenas pela interface CLI

Codec Habilitado por padrão: alaw

SIP-i Configura o Peer para operar em SIP-i. Configuração Padrão: no * Configuração depende de licença SIP-i habilitada.
Call Limit Limite de chamadas SIP-i simultâneas para o Peer. Configuração Padrão: 0 ( 0 = valor total da licença). * Configuração depende de licença SIP-i habilitada.
SIP Transport Configura o protocolo de transporte utilizado no SIP Peer.

UDP: Utiliza UDP para transporte.

TCP: Utiliza TCP para transporte.

TLS: Utiliza TLS para transporte. Ao selecionar esta opção, logo abaixo será disponibilizado as opções de Criar ou Importar os certificados TLS e CA.

Configuração Padrão: UDP


Logo abaixo dos codecs, é exibido um submenu para configurações avançadas:

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
From User Altera usuário no campo 'From' do cabeçalho SIP.
From Domain Altera domínio no campo 'From' do cabeçalho SIP.
Options Keepalive Opção utilizada para ativar ou desativar o SIP Option Keepalive. Nesta opção o equipamento será capaz de monitorar o status de um SIP Peer. Selecione no ou yes.

Configuração Padrão: no

Autoframing yes: utiliza mesmo ptime do peer sip

no: utiliza ptime configurado localmente (default 20ms)


Ao selecionar o SIP Transport em TLS o menu abaixo é disponibilizado para configuração, através do mesmo é possível criar ou importar os certificados necessários.


Após adicionar ou editar os peers, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

E1


As configurações da interface E1 serão exibidas de acordo com o tipo de licença instalada no equipamento (SS7 ou MFCR2/ISDN).

Iniciaremos com as configurações utilizando licenças SS7.

Signalling SS7

Tela de configuração E1 com licenças SS7 instaladas.

Os parâmetros de configuração física da interface e os parâmetros do tipo de sinalização a ser utilizado serão feitos de acordo com a descrição da tabela abaixo:

Campo Descrição
Signalling Configura a interface E1 para usar a sinalização SS7

Configuração Padrão: SS7

Clock recovery Configuração de relógio da interface E1. Selecione Enable para regenerar o relógio recebido na interface. Caso contrário, Disabled, o gateway usa o relógio interno.

Configuração Padrão: Disabled

CRC Configura a interface E1 para calcular o CRC-4 do multiquadro. Selecione Enabled para que o CRC-4 seja calculado e os bits calculados inseridos nos quadros. Caso contrário, Disabled.

Configuração Padrão: Disabled

Description Descrição para identificação da interface.

Valor padrão: Em branco.

Após editar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Signalling MFC/R2 - ISDN

As configurações a seguir serão exibidas quando as licenças de MFC/R2 - ISDN estiverem instaladas.


Os parâmetros de configuração física da interface e os parâmetros do tipo de sinalização a ser utilizado serão feitos de acordo com a descrição da tabela abaixo:

Campo Descrição
Signalling MFC/R2: configura a interface E1 para usar a sinalização MFC/R2 variação Brasil.

ISDN Network: configura a interface E1 para usar a sinalização ISDN como um equipamento de rede (frequentemente utilizada quando o E1 está ligado a um PABX).

ISDN CPE: configura a interface E1 para usar a sinalização ISDN como um equipamento de usuário (frequentemente utilizada o E1 está ligado na rede da operadora).

Configuração Padrão: MFC/R2

Clock recovery Configuração de relógio da interface E1. Selecione Enable para regenerar o relógio recebido na interface. Caso contrário, Disabled, o gateway usa o relógio interno.

Configuração Padrão: Disabled

CRC Configura a interface E1 para calcular o CRC-4 do multiquadro. Selecione Enabled para que o CRC-4 seja calculado e os bits calculados inseridos nos quadros. Caso contrário, Disabled.

Configuração Padrão: Disabled

Timeslots Configura quais os canais serão habilitados para o transporte. Os timeslots podem ser configurados continuamente usando a notação - (hífen) ou individualmente utilizando a , (vírgula) como separador. Exemplo: 1-10,12-15,17,22,31 (nesta configuração estarão habilitados os timeslots de 1 a 10, de 12 a 15 e os timeslots 17, 22 e 31. Todos os demais estarão desabilitados.

Configuração Padrão: 1-15, 17-31

Group Configura o grupo ao qual a interface irá pertencer. Apenas é permitido utilizar valores entre 1-32.

Configuração Padrão: 1

Hunt Policy Configura a política de escolha dos canais de voz, sendo possível utilizar:

Round Up: Utiliza os canais incrementando do menor para o maior. Exemplo: 1, 2, 3 ...

Round Down: Utiliza os canais decrementando do maior para o menor. Exemplo: 30, 29, 28...

Sequential Up: Ocupa os canais de voz de maneira sequencial do menor para o maior.

Sequential Down: Ocupa os canais de voz de maneira sequencial do maior para o menor.

Description Descrição para identificação da interface.

Valor padrão: Em branco.

Após editar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

MFC/R2

Se a sinalização configurada for MFC/R2, é possível configurar os parâmetros específicos abaixo:

Campo Descrição
Get ANI First Envia e espera receber os dígitos ANI antes dos dígitos DNIS, configuração para interface com alguns equipamentos.

Configuração Padrão: No

Max ANI Digits Número máximo de dígitos ANI (identificação do chamador) que o equipamento espera receber.

Configuração padrão: 4

Max DNIS Digits Número máximo de dígitos DNIS (número chamado) que o equipamento espera receber.

Configuração Padrão: 20

Allow Collect Calls Configura a permissão para o recebimento de chamadas a cobrar. Selecione Yes para permitir o recebimento de chamadas a cobrar. Caso contrário, No.

Configuração Padrão: Yes

Double Answer Configura o mecanismo de duplo atendimento para o bloqueio de chamadas a cobrar. Selecione Yes para habilitar o bloqueio. Caso contrário, No.

Observação: Esta configuração é sensível aos contadores de tempo configurados na sinalização R2 da operadora.

Configuração Padrão: No

Após editar, clique em Save.

ISDN

Se a sinalização configurada for ISDN, é possível configurar os parâmetros específicos abaixo:

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Switchtype Variante da sinalização ISDN a ser utilizada. As opções possíveis são: EuroISDN (default), National ISDN, Q.SIG

Configuração Padrão: EuroISDN

Overlap dial Se desabilitado (no), o equipamento espera receber o número chamado completo ou em bloco. O padrão é habilitado (yes), que permite a recepção dos dígitos na medida que eles são enviados

Após editar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Dialplan


O gateway está configurado com duas regras padrão no plano de discagem. Você pode efetuar as modificações clicando sobre as regras padrão (expandir a configuração) ou pode criar novas regras através do botão Add rule.

Para remover uma regra do plano de discagem clique em ✖ ao lado do apelido dado para a regra. O equipamento permite também a duplicação de regras, para duplicar a configuração de uma regra clique no ícone clonar , uma nova regra será adicionada com as mesmas configurações, porém o apelido da regra será incrementado (o equipamento não permite duplicação de mesmos nomes). Independente da regra ser editada ou criada, ao acessar a tela de configuração uma nova tela será apresentada:


Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Rule Name Apelido para regra no plano de discagem.
Source Peer Origem da chamada. Neste select ficarão disponíveis os peers existentes no equipamento (peers do SS7, SIP e TDM Group X), dependendo da licença instalada.
+ (Source Peer) Adição de novos Peer Local. O Peer Local será automaticamente removido quando não estiver sendo utilizado.
Called Pattern Expressão padrão do número chamado.

0-9#* - Significa qualquer dígito de 0 a 9, # ou *

X - Significa qualquer dígito de 0 a 9

[125-9] - Significa qualquer dígito especificado entre os colchetes

. - Significa qualquer dígito ou dígitos a seguir

Exemplos:

1234 - Número 1234

[7-9]XXX - Um número de 4 dígitos que inicia por 7, 8 ou 9

XXXX - Qualquer número de 4 dígitos

[23]X. - Quaisquer números com 3 ou mais dígitos iniciados com 2 ou 3


Configuração Padrão: X.

Callerid Pattern Expressão padrão do número do chamador. As expressões seguem o mesmo padrão do Called Pattern e os mesmos exemplo são aplicáveis.


Observação: Para preservar a identificação do chamador a configuração padrão do campo é deixada em branco.

Outgoing Called Regras de modificação do número chamado no formato <prefix>{:<offset>:<length>}<suffix>

Exemplos:

{} - Significa encaminhar todos os dígitos

{:2:4} - Encaminhar do terceiro ao sexto dígito

{:-4} - Encaminhar somente os 4 últimos dígitos

{:2} - Remover o primeiros 2 dígitos do número a ser encaminhado

012{} - Adicionar o prefixo 012 ao número a ser encaminhado

{}0100 - Adicionar 0100 ao final do número a ser encaminhado


Configuração Padrão: {}

Outgoing Callerid Regras de modificação da identificação do número do chamador. As expressões seguem o mesmo padrão do Outgoing Called e os mesmos exemplo são aplicáveis.


Configuração Padrão: {}

Duration Limit Configurar tempo máximo de duração para as chamadas tratadas pela regra em questão. Tempo definido em segundos. Valor padrão: 0 (sem limite).
Answer Timeout Tempo máximo de espera pelo atendimento da chamada em segundos.

Configuração Padrão: 90

Nature of Address Sobrescreve o caráter do endereço enviado em uma regra específica. As opções disponíveis são:


branco: preserva o caráter do endereço, isto é, não altera o campo

1: Número do assinante (sem identificação do código de área)

3: Número nacional (com identificação/prefixo do código de área)

4: Número internacional Configuração Padrão: branco


Observação: Parâmetro disponível apenas quando o "Destination Peer" for SS7. Depende de licenças SS7 instaladas.

No RNI Habilita ou não o repasse do parâmetro (SIP Diversion Header) do SIP para o SS7 - Redirecting number Information (RNI) .

Valor padrão: Desabilitado.


Observação: Parâmetro disponível apenas quando o "Destination Peer" for SS7. Depende de licenças SS7 instaladas.

Destination Peer Destino de encaminhamento da chamada. Neste select ficarão disponíveis os peers existentes no equipamento (peers do SS7, SIP e TDM Group X).
Weight Configurar o balanceamento de carga entre vários "Destination Peers".
SS7 CICs Configurar a faixa de CIC a ser utilizada. Campo habilitado quando selecionado um peer SS7
MFCR2 Category Sobrescreve a categoria da chamada a ser enviada em uma regra específica. As opções disponíveis são: national_subscriber, national_priority_subscriber, international_subscriber, international_priority_subscriber, collect_call


Observação: Para preservar a categoria a configuração padrão do campo é deixada em branco.

Parâmetro disponível apenas quando licenças MFCR2/ISDN estão instaladas.

ISDN Reverse Charge Envia a indicação de chamada a cobrar.

Configuração Padrão: No

Observação: Parâmetro disponível apenas quando licenças MFCR2/ISDN estão instaladas.

Failover Peer Destino para o qual as chamadas serão encaminhadas em em caso de falha no destino principal de encaminhamento (Destination Peer). Neste select ficarão disponíveis os peers existentes no equipamento (peers do SS7, SIP e TDM Group X).

Por padrão nenhum destino está configurado.


Dentro de cada regra é possível configurar as regras de Failover. Para isso clique em Failover Rules.

Basicamente as regras de Failover são utilizadas para redirecionar para um peer um Hangup, no qual ocorreu ao tentar direcionar a ligação para o peer de destino da regra. Para adicionar clique no botão "+ add Failover Peer" . Os tipos possíveis de Hangup são exibidos abaixo:

Campo Descrição
0 unsuccessful call
1 unallocated number
2 no route to network
3 no route to destination
16 normal call clearing
17 user busy
18 no user responding
19 no answer from the user
20 subscriber absent
21 call rejected
22 number changed (s/o diagnostic)
23 redirection to new destination
26 non-selected user clearing
27 destination out of order
28 address incomplete
29 facility rejected
31 normal unspecified
34 no circuit available
38 network out of order
41 temporary failure
42 switching equipment congestion
47 resource unavailable
55 incoming calls barred within CUG
57 bearer capability not authorized
58 bearer capability not presently available
65 bearer capability not implemented
70 Only restricted digital information bearer capability is available (National use)
79 service or option not implemented
87 user not member of CUG
88 incompatible destination
102 Call Setup Time-out Failure
111 Protocol Error Unspecified
127 Internal Error - interworking unspecified


Após editar ou adicionar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Services


O menu está dividido em quatro partes. É possível expandir cada tópico, clicando em cima do nome.

Services

Aqui será possível configurar o endereço do servidor NTP (Network Timing Protocol) e o endereço do  do servidor Syslog.

Campo Descrição
NTP Server Configure o servidor e porta a ser utilizada pelo serviço NTP. Pode ser utilizado no formato xxx.xxx.xxx.xxx:porta.

Valores válidos para a porta entre 1-65535, sendo um parâmetro opcional. Não inserindo a porta o padrão será a porta 123.

Syslog Server Mesmo comportamento do NTP Server, porém a porta padrão utilizada é a 514.

Após editar ou adicionar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Configuration Management.

SNMP

O AGOS possui suporte para configuração de Simple Network Management Protocol nas versões V1, V2C e V3. É possível realizar leitura e escrita em comunidades, enviar traps para um servidor remoto e configurar permissão para hosts específicos.

O botão Download MIB permite o download da MIB Aligera.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
GET/SET community Configure a comunidade para realizar SET e GET.

Utilize letras, números, hífen, ponto e subtraço (_).

Valor padrão GET community: public

Valor padrão SET community: private

Listening Port Porta utilizada para acesso às comunidades. Valores válidos para a porta entre 1-65535, se não informado o padrão será 161.
Trusted Hosts Configure endereços IPv4 que terão permissão para realizar GET/SET nas comunidades.

Utilize o formato xxx.xxx.xxx.xxx.


Quando secionado a versão V3 o menu v3 Users será habilitado para configuração, clique no botão "+ Add V3 User" para adicionar novos usuários.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
User Name Configure o nome do usuário. Pode conter até 32 caracteres alfanuméricos.
Security Level: noAuthNoPriv: Sem autenticação e sem criptografia de dados (sem segurança).

AuthNoPriv: Autenticação, mas sem criptografia de dados. Com esse nível de segurança, os usuários enviam mensagens SNMP que usam a chave Authentication Key SHA ou MD5 para autenticação, mas não uma chave DES ou AES para criptografia.

AuthPriv: Autenticação e criptografia de dados. Com este nível de segurança, os usuários enviam enviam mensagens SNMP que usam a chave Authentication Key no formato MD5 ou SHA para autenticação e uma chave Privacy Key DES ou AES para criptografia.


Após editar ou adicionar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.



O envio das Traps estão disponíveis na versão V2C. Selecione o envio das Traps de acordo com sua necessidade, selecionando a caixa correspondente.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Trap Version Configura a versão do SNMP disponível ou desabilita o envio.

Valor padrão: off

Trap Server Endereço IPv4 e porta de destino para envio de traps.

Pode ser utilizado no formato xxx.xxx.xxx.xxx:porta.

Valores válidos para a porta entre 1-65535, sendo um parâmetro opcional. Não inserindo a porta padrão será a porta 162.

E1 Trap Trap é enviada ao servidor configurado em todas mudanças de estado da interface E1, informando a identificação da interface e estado.
SIP Trap Trap é enviada ao servidor configurado em todas mudanças de estado dos peers monitorados (OPTIONS Keepalive yes), informando a identificação do peer e estado.
Device Trap Trap é enviada ao servidor configurado quando a ocupação de disco, memória ou cpu ultrapassa o limite de 95%, informando os valores atingidos.
Call Statistics Trap é enviada ao servidor configurado ao final de cada chamada, informando os campos do CDR:

Source Peer, Destination Peer, Outgoing Source, Outgoing Destination, Source Channel, Destination Channel, Start, Answer, End, Duration, Disposition, Rule, Hangup Cause .

Para maiores informações consulte o tópico deste manual dedicado ao CDR.

SS7 Trap Trap é enviada ao servidor configurado em todas mudanças de estado do link de sinalização SS7 Local ou Remota, informando a identificação do link e estado.
Chan Trap Trap é enviada ao servidor configurado em todas mudanças de estado dos canais da interface E1, informando a identificação do canal e estado.
Network Trap Trap é enviada ao servidor configurado em todas mudanças de estado das interfaces de rede físicas, informando a identificação da interface e estado.

Após editar ou adicionar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Listening Ports

Exibe e disponibiliza a edição das portas para acesso ao equipamento. Efetue as alterações correspondentes no firewall, caso o mesmo esteja ativo.

Campo Descrição
HTTP Port Porta de acesso ao servidor HTTP. Valores válidos entre 1-65535.

Configuração Padrão: 80

HTTPS Port Porta de acesso ao servidor seguro HTTPS. Valores válidos entre 1-65535.

Configuração Padrão: 443

SSH Port Porta de acesso ao servidor seguro SSH. Valores válidos entre 1-65535.

Configuração Padrão: 22


Observação: As portas TCP e UDP não podem ser reutilizadas entre os serviços. Por exemplo, se o usuário optar por alterar a porta do SSH para 161, o equipamento não irá permitir, pois a porta 161 já estará sendo utilizada por outro serviço (SNMP).


Após editar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Configuration Management.

Certificates and Keys

Possibilita a importação de certificados HTTPS e chaves SSH personalizados.

Para importação dos certificados HTTPS, após clicar no botão "Import HTTPS Certificate" utilize os formatos .pem e .key, selecione ambos simultaneamente.

Para importação das chaves SSH, após clicar no botão "Import SSH key" utilize para chave pública arquivos PEM sem extensão e para chave privada arquivos .key .


Após editar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.


Firewall


A configuração do firewall é baseada em regras do tipo ACCEPT, ou seja, por padrão o acesso é sempre negado a não ser que exista uma regra explícita para acesso. Existe um conjunto de regras gerais, pré-definidas, que são aplicáveis ao funcionamento normal do gateway. As regras permitem o acesso SSH, HTTP e as portas mais comuns na comunicação SIP e tráfego de pacotes RTP.

Para remover uma regra da tabela clique no ícone ✖. Para editar uma regra já existente clique no ícone 🖉. Se o usuário desejar criar uma nova regra na tabela é possível clicar em Add Rule, os campos de edição ficarão disponíveis.

É necessário adicionar uma configuração válida para poder prosseguir. Os campos aceitam as seguintes configurações:

Campo Descrição
Name Apelido para a regra. Utilize caracteres, números, e subtraço (_)
In Interface Interface de entrada dos pacotes que serão analisados pela regra. As opções válidas aparecem disponíveis para a seleção. A escolha da opção Any aplica a regra a todas as interfaces da lista.
Source Endereço de rede na forma xxx.xxx.xxx.xxx, sub-rede na forma xxx.xxx.xxx.xxx/yy ou Any. Deixar o campo em branco implica em selecionar a opção Any, ou seja, a regra será aplicada a qualquer endereço IP de origem.
Protocol Protocolo que será avaliado pela regra. As opções válidas aparecem disponíveis para seleção. A escolha da opção Any faz com que a regra não olhe para o tipo de protocolo.
Port Start Porta inicial da faixa de portas que será analisada para o protocolo especificado na regra.
Port End Porta final da faixa de portas que será analisada para o protocolo especificado na regra.
Observação: O Port Start e Port End não são campos obrigatórios. Na situação em que os dois campos não são preenchidos a regra atuará para qualquer porta. Porém, se configurados, o Port Start não poderá ser maior que o Port End.

Após adicionar ou editar as regras desejadas, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

High Availability


A seção a seguir é destinada a detalhar as configurações da implementação da funcionalidade High Availability (HA) , nesta topologia há necessidade de utilização de um segundo equipamento, o qual terá função de Spare, enquanto o principal será nomeado de Master. Após ativar o HA, as demais configurações do equipamento Master serão replicadas ao equipamento Spare automaticamente, criando um cluster. Em caso de uma interrupção no funcionamento do equipamento Master, o equipamento Slave assumirá a função de ativo dentro do cluster, ativando automaticamente as mesmas licenças do Master, com prazo de expiração em 30 dias.

As configurações de rede das demais interfaces também serão replicadas no equipamento Spare, mantendo enquanto Spare bloqueadas. No momento em que o Spare assumir como ativo, estas interfaces serão liberadas passando a operar com as mesmas configurações de rede do equipamento Master. As interfaces destinadas ao HA manterão suas configurações de rede independentes em cada equipamento.

A comunicação das interfaces HA pode ser realizada através de uma conexão direta, usando um cabo de rede ligado diretamente as interfaces de rede de cada equipamento, ou através da rede local.

Recomendamos o uso da interface ethernet 1 para uso do HA e a interface ethernet 0 seja utilizada para o tráfego de voz.

Para os equipamentos que utilizam interfaces E1, há necessidade de remanejar os cabos E1 para o equipamento ativo.


A seguir serão detalhadas a configurações a realizar em cada equipamento, Master e Spare.

Começaremos com as configurações destinadas ao equipamento Master:

Tela de configuração HA Master:


A tabela a seguir detalha os parâmetros do HA a serem configurados no equipamento Master.

Campo Descrição
State Habilita ou desabilita a funcionalidade HA.
Interface Seleciona a interface a ser utilizada na topologia HA, é necessário que esta interface utilize endereço de IP fixo.
IP Address Configure o endereço IPv4 do equipamento Spare.

Utilize o formato xxx.xxx.xxx.xxx.

Http port Configure a porta HTTP do equipamento Spare.

Valor padrão (spare): 80

User Configure o usuário do equipamento Spare. O usuário necessita possuir nível de privilégio Admin.
Password Configure a senha do usuário previamente configurado.
Virtual IP Address Configure o endereço IPv4 do cluster, este IP virtual irá direcionar ao IP da interface HA do equipamento ativo.

Utilize o formato xxx.xxx.xxx.xxx.


Após configurar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.


Seguiremos agora com a configuração do equipamento Spare.

Tela de configuração HA Spare:


A interface de rede ativa no spare será a interface de rede configurada para o HA.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
State Habilita ou desabilita a funcionalidade HA.
Interface Seleciona a interface a ser utilizada na topologia HA, é necessário que esta interface utilize endereço de IP fixo.
IP Address Configure o endereço IPv4 do equipamento Master.

Utilize o formato xxx.xxx.xxx.xxx.

Htpp port Configure a porta HTTP do equipamento Master.

Valor padrão (master): 80

Após configurar, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

SS7


A configuração dos parâmetros da sinalização SS7 do gateway está dividida em três seções: SS7 Links, SS7 Linksets e SS7 Signaling Gateway.

As configurações desta seção dependem da licença SS7 previamente instalada.

SS7 Linksets

Para criar um novo linkset clique no botão Add Linkset no canto inferior da página. Se o usuário pretende editar um linkset basta clicar em cima do nome do linkset desejado, a configuração será expandida.

Para remover um linkset clique no ícone ✖ ao lado do nome do linkset a ser deletado.

A tabela a seguir detalha os parâmetros do linkset a serem configurados:

Campo Descrição
Linkset Name Nome atribuído ao linkset.
Origin Point Code Configura o número do Origin Point Code (OPC) do linkset.
Destination Point Code Configura o número do Destination Point Code (DPC) do linkset.
Adjacent Point Code Este campo somente é utilizado nos casos onde é utilizado um ponto de transferência de sinalização (PTS). O point code do PTS deve ser configurado neste campo.
Hunting Policy Configura o política de tomada ou ocupação dos CICs.

even: ocupa os CICs pares

odd: ocupa os CICs ímpares

seq_up: ocupa os CICs de maneira sequencial do menor para o maior

seq_down: ocupa os CICs de maneira sequencial do maior para o menor

Loadshare Configura o compartilhamento da sinalização no linkset, entre links ou linksets.

none: sem compartilhamento de sinalização.

linkset: o compartilhamento de sinalização é realizado entre os links do linkset.

combined: no caso de compartilhamento de sinalização entre linksets. Neste caso é necessário configurar o campo Combined ID de todos os linksets que irão compartilhar a sinalização com o mesmo identificador.

Combined ID Identificador (ID) do linkset para compartilhamento de sinalização. O campo só é habilitado se o compartilhamento é configurado como combined.

Após a configuração dos parâmetros, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

SS7 Links

Para criar um novo link de sinalização clique no botão Add Link. Para editar um link clique em cima do nome do link desejado.

Para remover um link clique no ícone ✖ ao lado do nome do link a ser deletado.

A tela de configuração dos links está dividida em 3 subseções para maior facilidade de configuração. Uma seção para a configuração dos canais de voz e nomenclatura do link, outra para a configuração do canal de sinalização local, denominada Local Signaling e uma terceira onde será configurada o tipo de transporte e a sinalização remota, Remote Signaling, a ser utilizada no link.


A tabela a seguir detalha os parâmetros do link a serem configurados na primeira subseção.

Campo Descrição
Link Name Nome do link a ser criado.
Linkset Linkset (conjunto de links) ao qual o link que está sendo criado será agrupado. A caixa de seleção apresenta os linksets já existentes no equipamento. O padrão sempre será carregar o primeiro linkset da lista de linksets, podendo ser alterado pelo usuário.
E1 Interface Associa o link que está sendo criado a uma interface física E1. A caixa de seleção apresenta as interfaces E1 numeradas de acordo com a configuração do equipamento adquirido. O gateway suporta múltiplos links de sinalização em uma mesma interface E1.
Voice Channels Configura quais os canais serão utilizados para os transporte de canais de voz. Os canais podem ser configurados continuamente usando a notação - (hífen) ou individualmente.

Exemplo 1: 1-10,12-15 (nesta configuração estarão habilitados os timeslots de 1 a 10 e de 12 a 15. Todos os demais estarão desabilitados.

Configuração Padrão: 1-15, 17-31

Exemplo 2: 17,20

First CIC Configura o número do primeiro CIC (Circuit Identification Code) do link que está sendo criado. Os canais de voz do link são numerados em forma sequencial a partir do primeiro CIC.
SLTM Habilita o envio de pacotes SLTM para o PTS remoto. É esperado que o equipamento remoto responda com pacotes SLTA.

Configuração padrão: yes

Relax DTMF Relaxa os parâmetros de configuração do DTMF. Normalmente é utilizado quando está ocorrendo perdas de DTMF, habilitando esta opção o equipamento irá ser mais flexível perante as frequências, por exemplo.

Configuração padrão: yes

Adjacent Point Code É o endereço do equipamento PTS. Normalmente é necessária apenas a configuração no Linkset, porém pode ser configurado no link se o linkset se conectar com mais de um PTS.

Configuração padrão: vazio

Observação: O First CIC leva em consideração o valor do First CIC do link anterior, mas isso só ocorrerá caso o link que foi configurado anteriormente possua o mesmo linkset atribuído, se for verdadeiro não poderá existir configuração apontando para o mesmo linkset no mesmo range de First CIC.


Caso o gateway utilize a sinalização local habilite a função modificando a opção Local Signaling para Enabled. Caso contrário mantenha a opção como Disabled. Ao habilitar a sinalização local a subseção irá expandir, exibindo os parâmetros a serem configurados.


Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
MTP2 channel Configura qual canal será utilizado para sinalização local. Este canal não poderá estar em uso no Voice Channels, se estiver uma mensagem de erro será exibida na página.
SLC Configura o Signaling Link Code da sinalização local.

Valor padrão: 0

ALS Listen Port Número da porta na qual o gateway irá compartilhar as informações de sinalização do link quando for utilizado o protocolo de sinalização ALS (Aligera Signaling). O protocolo ALS permite interoperabilidade com os gateways AG1000.

Configuração padrão: 12000

M2PA Listen Port Número da porta na qual o gateway irá compartilhar as informações de sinalização do link quando utilizado o protocolo de sinalização SIGTRAN M2PA.

Configuração padrão: 3565

O transporte da sinalização remota é configurado habilitando a subseção Remote Signaling através da opção Enabled. Novamente a subseção irá expandir exibindo os parâmetros a serem configurados. Esta subseção está dividida entre os gateways que utilizam o protocolo de sinalização Aligera (als) e SIGTRAN (m2pa).


Para os gateways que utilizam o protocolo als os parâmetros estão detalhados abaixo. Para adicionar um ALS Gateway clique no botão Add ALS Gateway.

Campo Descrição
Name Nome do gateway remoto do qual o gateway irá receber a sinalização.
IP Address Endereço IP do gateway remoto do qual o gateway irá receber a sinalização.
TCP Port Número da porta do gateway remoto do qual o gateway irá receber a sinalização.

Configuração padrão: 12000

Slink name Nome do link que contém o canal de sinalização MTP2 no equipamento remoto. Utilizado para compatibilidade com os gateways AG1000 e com uso do protocolo als

Após configurar os parâmetros adequadamente clique no ícone ✔ para confirmar. Se algum parâmetro estiver incorreto, este ícone ficará desabilitado para a confirmação. Para remover um gateway da tabela clique em ✖.


Para a opção m2pa (SIGTRAN M2PA) os parâmetros a serem configurados estão associados ao protocolo SCTP. Para adicionar um M2PA Gateway clique no botão Add MPA Gateway.

Campo Descrição
Name Nome do gateway remoto do qual o gateway irá receber a sinalização.
IP Address Endereço IP do gateway remoto do qual o gateway irá receber a sinalização.
Dest SCTP port Número da porta do gateway remoto que será utilizada para o protocolo SCTP.
Source SCTP Port Número da porta local do gateway que será utilizada para o protocolo SCTP.
Fwdr SCTP Port Número da porta do gateway remoto que será utilizada para reencaminhar o protocolo SCTP


Após a configuração dos parâmetros, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

SS7 Signaling Gateway

Para configurar o gateway para desempenhar a função de Gateway de sinalização acesse o menu SS7 Signaling Gateway.

Para adicionar os clientes clique no botão Add SG client.


. Os principais botões ficarão desabilitados enquanto o parâmetro IP Address não for editado corretamente - sendo uma configuração obrigatória.

Campo Descrição
Client Name Nome do gateway cliente. Utilize letras, números, subtraço (_). O nome do cliente é criado dinamicamente, podendo ser alterado pelo usuário
IP Address Endereço IP do gateway cliente.
Signaling Transport Configura o tipo de protocolo de transporte de sinalização do gateway cliente.

als (Aligera Signaling): caso o gateway seja AGOS ou AG1000.

m2pa: transporte SIGTRAN M2PA

Src SCTP Port

Porta de origem do protocolo SCTP usada pelo cliente. Usualmente é a mesma usada pelo gateway (ex. 3565 para M2PA).

Observação: Disponível apenas quando configurado o Signaling Transport em M2PA.

MTP2 link Configura o link MTP2 associado ao gateway cliente.

Parâmetro ligado ao Signaling Transport.

Signaling Souce Type Configura o tipo de sinalização do gateway cliente.

als (Aligera Signaling): caso o gateway seja AGOS ou AG1000.

m2pa: transporte SIGTRAN M2PA

MTP2 link

Configura o link MTP2 associado.

Observação: Disponível apenas quando configurado Signaling Souce Type em MTP2.

M2PA Gateway

Configura o Gateway M2PA associado.

Observação: Disponível apenas quando configurado Signaling Souce Type em M2PA.


Para cada SG Client será possível configurar MTP3 associados, perceba a existência da tabela MTP3 Addresses. Para adicionar, clique em +Add MTP3 Address.

Campo Descrição
Name String para identificar. É possível utilizar letras, números, underline.
OPC - Origin Point Code Configura o número do Origin Point Code do gateway cliente
DPC - Destination Point Code Configura o número do Destination Point Code do gateway cliente.
CIC start e CIC end Configura quais os CICs utilizados pelo gateway cliente. Os CICs podem ser identificados continuamente usando a notação - (hífen) ou individualmente utilizando a , (vírgula) como separador. Observação: Cenários onde o mesmo OPC e DPC são utilizados em mais de um equipamento, este campo deve ser sempre especificado com a faixa de CIC correspondente.


Para confirmar uma nova entrada na tabela de MTP3 clique em no ícone de confirmação ✔ . Após é possível editar uma entrada desejada, clicando no ícone de edição 🖉. Tanto um SG Client quanto uma entrada de MTP3 podem ser removidas, para remover clique no ícone de remoção ✖ .

Após a configuração dos parâmetros, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

SS7 M2UA SG Configuration

A seção a seguir é destinada a detalhar as configurações da implementação do protocolo M2UA para comunicação do Media Gateway (AGOS) com outros elementos da topologia, como o MGC (Media Gateway Controller).

As configurações desta seção dependem da licença SS7 previamente instalada.


Tela de configuração M2UA:


A tabela a seguir detalha os parâmetros da conexão a serem configurados:

Campo Descrição
Name Nome do cliente M2UA. O nome do cliente é criado dinamicamente, podendo ser alterado pelo usuário
IP Address Endereço IP do servidor M2UA.

Utilize o formato: xxx.xxx.xxx.xxx

Local SCTP Port Porta SCTP do gateway local.
Peer SCTP Port Porta SCTP do servidor M2UA.
Link Seleciona o link local, o qual possui sinalização local configurada.
IID Interface Identifier . Identificação da interface, é comum utilizar o mesmo identificador numérico da interface E1. Esta identificação deve ser configurada idêntica no servidor M2UA.

Após a configuração dos parâmetros, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

H.248


A seção a seguir é destinada a detalhar as configurações da implementação do protocolo H.248 para comunicação do Media Gateway (AGOS) com outros elementos da topologia, como o MGC (Media Gateway Controller).

As configurações desta seção dependem da licença SS7 previamente instalada.

Tela de configuração H.248:


A tabela a seguir detalha os parâmetros da conexão a serem configurados:

Campo Descrição
Media Gateway ID Identificação do gateway.

Valor padrão: agos

Listen Port Porta H248 do gateway local.
MGC Host Endereço IP do MGC. Utilize o formato: xxx.xxx.xxx.xxx
MGC Port Porta H248 do servidor MGC.
TDM prefix Prefixo usado no protocolo H.248 para identificar interfaces TDM. Deve ser idêntico ao configurado no MGC.

Valor padrão: al

TDM Spans Identificação das interfaces E1 utilizadas na conexão H248.

Utilize o formato: X-XX ou X,XX

Exemplo: 1-12 (todas interfaces de 1 a 12 serão configuradas)

1,12 (Somente a interface 1 e 12 serão configuradas).

DTMF Mode Padrão na geração e detecção DTMF's

RFC2833: Neste modo os tons de DTMFs recebidos pelas interfaces E1 vão ser gerados fora do canal de áudio para o lado H248. Nas ligações vindas do MGC o gateway vai interpretar e gerar o tom para as interfaces E1;

Inband: Neste modo os tons de DTMF são mantidos in-band também nos pacotes de áudio.

Codecs Os codecs estão classificados em duas colunas. Clique no codec e arraste para coluna Enabled ou Disabled de acordo com a configuração de codecs desejada.

Taxa de utilização de banda:

G.711 (alaw e ulaw): 64Kbps

G.729: 8Kbps

G.722: 64kbps

Codec Habilitado por padrão: alaw

Após a configuração dos parâmetros, clique em Save.

Para aplicar a nova configuração no equipamento é necessário executar o Activate no menu Administration / Configuration Management.

Status


O sistema AGOS fornece a visualização de status e estatísticas. Para visualizar o usuário deve acessar o menu principal Status, no canto superior da página, e selecionar a opção desejada.

A funcionalidade "Refresh Rate (seconds), presente em algumas telas, determina o tempo da atualização das informações do status em segundos.

Network


É possível visualizar o endereço MAC de cada interface de rede existente no equipamento, assim como o endereço IPv4, máscara, tabela de rotas e a informação do estado das interfaces de rede físicas (Link UP, Link Down). O gateway padrão e o servidor de nome (DNS) configurados são informados abaixo das interfaces.


Tela de Status Network:

SIP


Exibe a ocupação dos canais SIP e SIPi, bem como o estado dos Peers configurados no equipamento como Options Keepalive e estado do registro .

A exibição dos canais SIPi esta condicionado a licença SIPi previamente instalada.

E1


A exibição das informações das interfaces E1 estão divididas em duas seções, status dos canais e estatísticas das interfaces.

Na primeira seção é informado o status das interfaces, estado dos canais, descrição, e a ferramenta de testes.

Ao clicar sobre a interface serão exibidos as informações de Linksets e Links configurados, esta funcionalidade esta condicionada ao uso de licenças SS7.

A ferramenta de teste disponibilizada nesta tela esta a direita dos estados dos canais, pressionando o botão com ícone "play AIS" esta interface enviará o sinal de AIS para o lado remoto, desta forma é possível testar a continuidade do circuito e identificar possíveis loops e inversões de cabos ao longo da etapa de transporte. Para finalizar basta clicar novamente no botão que esta sendo exibido como "stop AIS".

Tela de status E1:



A tabela a seguir descreve em detalhes o estado dos canais e de cada interface.

Campo Descrição
Interface Número da interface E1
Status Estado do enlace da interface E1.

OK: Todos as interfaces estão em funcionamento

LOS: Indica que a Interface está sem sinal

AIS: Indica um alarme na interface local

RAI: Indica a existência de alarme proveniente da interface remota

BFAE: Indica a falta de sincronismo de quadro

MFAE: Indica a falta de sincronismo de multiquadro

Channels Identifica se o canal (timeslot) de cada interface está habilitado e o estado de cada um.

Idle: O canal está livre

Busy: O canal está ocupado.

Blocked: A conexão física está correta mas indica a existência de algum erro de sinalização.


Ainda na seção E1 Status é possível verificar os diversos contadores de desempenho da interface.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Code Violations Número de violações bipolares detectadas
Slips Erros de escorregamento de relógio;
CRC Errors Número de erros de CRC, caso o CRC-4 esteja habilitado na interface
LOS Events Número de vezes que a interface detectou LOS (perda de sinal)
LOS Time Tempo que a interface passou em LOS
BFAE Events Número de vezes que a interface detectou erro no alinhamento de quadro (Basic Frame Alignment and error)
BFAE Time Tempo que a interface passou em BFAE
MFAE Events Número de vezes que a interface detectou erro no alinhamento de multiquadro (Multi Frame Alignment and error)
MFAE Time Tempo que a interface passou em MFAE
RAI Events Número de vezes que a interface detectou indicação remota de alarme (Remote Alarm Indication)
RAI Time Tempo que a interface passou em RAI
Up time Tempo de coleta das estatísticas

As estatísticas são coletadas desde que o equipamento é ligado e são voláteis, ou seja, se o equipamento for desligado elas são perdidas. É possível forçar o descarte das estatísticas e assim zerar todos os contadores clicando-se no botão Clear Statistics.

SS7


Esta página está dividida em cinco seções, sendo: CIC Usage, CIC Status, Local Signaling, Remote Signaling e Signaling Gateway Clients.

As configurações destas seções dependem da licença SS7 previamente instalada.

Na imagem abaixo esta sendo exibido as duas primeiras seções CIC Usage e CIC Status.



CIC Usage

Exibe estatísticas dos canais de cada Linkset existente no equipamento.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Linkset Apelido do linkset previamente configurado no equipamento.
Idle Número de canais disponíveis no linkset.
Busy Número de canais com chamada em andamento no linkset.
Down/Blocked Número de canais indisponíveis no linkset. Este comportamento pode ocorrer devido a bloqueio do canal ou alarme na interface, por exemplo.
Channels Número total de canais no linkset.

CIC Status

Neste item é apresentado os estados dos CIC’s por linkset.

Para bloquear todos os CIC’s de um determinado linkset clique no botão "Block" no respectivo linkset. Será indicado que os CIC’s estão bloqueado. Para desbloquear clique no botão "Unblock".

O botão reset executa o envio de mensagens GRS (Circuit group reset) no linkset correspondente.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Linkset Nome do linkset
CICs Mapa dos CICs do linkset. O número identifica o CIC dentro do linkset. As cores indicam o estado de cada CIC.

Idle: O CIC está disponível.

Busy: O CIC está ocupado em uma chamada.

Ringing: O CIC está recebendo ou enviando o sinal de chamada.

Initiating: O CIC está alocado para o início de uma chamada.

Blocked: O CIC está bloqueado por erro de sinalização ou por configuração da operadora.


Na imagem a seguir é exibido as demais seções: Local Signaling, Remote Signaling e Signaling Gateway Clients.

Local Signaling

A seção Local Signaling será apresentada caso o gateway utilize um link de sinalização local. Caso contrário será apresentada como Not configured.


Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Link Nome do link de sinalização.
MTP2 Channel Canal de sinalização MTP2 utilizado.
SLC Signaling Link Code configurado.
ALS Port Porta de origem ALS (Aligera Signaling) configurada na sinalização local.
M2PA Port Porta de origem M2PA (SIGTRAN RFC 4165) configurada na sinalização local.
E1 Interface Interface E1 configurada na sinalização local.
State Estado do link de sinalização. Quando o link estiver corretamente estabelecido o estado deverá ser INSERVICE. Os estados intermediários identificam o tipo de mensagens trocadas entre os pontos de sinalização e a temporização necessária ao estabelecimento do link.

Os estados adicionais, como referência para auxílio na depuração de problemas, são: DOWN, NOT_ALIGNED, ALIGNED, PROVING e READY.

Remote Signaling

Da mesma forma que a seção Local Signaling, a seção Remote Signaling só será apresentada se o gateway receber a sinalização remota de um outro gateway. Caso contrário será apresentada como Not configured.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Gateway Name Nome do gateway do qual o gateway recebe a sinalização remota
IP Addr Endereço IP do gateway do qual o gateway recebe a sinalização remota.
Dst Port Porta na qual o gateway se conecta com o gateway de sinalização remoto.
Protocol Protocolo de transporte de sinalização utilizado.

ALS: Aligera Signaling (compatível com AG1000 e AGOS).

M2PA: SIGTRAN RFC 4165.

Proto info Para ALS exibe a informação do slink.

Para M2PA exibe a informação do srcport.

Network Estado da conectividade IP com o gateway remoto.

Up: Link estabelecido e ativo.

Down: Link não estabelecido.

Signaling Estado do link de sinalização MTP2 do gateway remoto.

Up: Link estabelecido e ativo.

Down: Link não estabelecido.

Signaling Gateway Clients

Caso o gateway atue como um gateway de sinalização (Signaling Gateway - SG), nesta seção serão apresentados os gateways clientes.

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Name Nome do gateway cliente do gateway de sinalização (SG)
IP Addr Endereço IP do gateway cliente do gateway de sinalização (SG)
Src Port Porta que o gateway cliente utiliza para se conectar ao gateway de sinalização (SG)
Protocol Protocolo de transporte de sinalização utilizado.

ALS: Aligera Signaling (compatível com AG1000 e AGOS)

M2PA: SIGTRAN RFC 4165.

State Estado do link do link de sinalização entre o gateway cliente e o gateway de sinalização.

Up: Link estabelecido e ativo.

Down: Link não estabelecido.

H.248


Exibe o estado da conexão H248 e os contextos ativos das chamadas em curso.

Dialplan


Disponibiliza a ferramenta para testes do dialplan, ao selecionar um Peer de origem e entrar com os valores nos campos Called Number e Caller id, é possível identificar em qual regra do dialplan será tratado o cenário informado.

Para informar os dados do campo "Caller ID" é necessário inserir os dados do "Called Number" previamente.

No exemplo da tela abaixo foi inserido o valor 9999999999 em Called Number, e ao clicar no botão "TEST" foi informado que a regra que irá tratar este cenário será a "sip_trunk1_default".

Logo abaixo serão informado todas as regras presentes no sistema.

Calls


Exibe as chamadas em curso no equipamento, é possível filtrar utilizando as entradas informadas.

Todas as chamadas ativas serão contabilizadas em Active Calls. Já o contador Calls Processed exibe todas as chamadas que foram registradas no equipamento desde o último Activate ou reinicialização do sistema.

Abaixo segue a informação dos campos de exibição e pesquisa.

Campo Descrição
Source Canal de origem utilizado na chamada.
Destination Canal de destino utilizado na chamada.
Caller Número de origem da chamada.
Called Número de destino da chamada.
Duration Duração total da chamada.
State Estado da chamada.

Calls Records


O equipamento oferece no link "Calls Records" do menu "Status" da interface web uma opção para verificação dos últimos registros de chamadas. Tal facilidade não trata-se de um sistema de bilhetagem ou tarifação, mas sim um relatório básico para consultas da equipe técnica em diagnósticos de problemas.

A visualização dos dados podem ser obtidos na própria interface, ou exportados para um arquivo externo (.csv) para posterior manipulação.

Após alcançado o número máximo de registros configurado, os registros mais antigos serão removidos automaticamente.

Calls Detail Records

Call Detail Records Table.jpgNa tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Load CDR table with limit Limite de registros a serem exibidos
Select columns Seleção de colunas a serem exibidas


Exibição da consulta nos registros de chamadas:


Cdr.2.jpg


Descrição dos campos da tela de consulta dos registros de chamadas:

Campo Web Descrição
Source Número de origem da chamada.
Destination Número de destino da chamada.
Source Channel Canal de origem utilizado na chamada.
Destination Channel Canal de destino utilizado na chamada.
Start Horário de início da chamada.
Answer Horário do atendimento da chamada.
End Horário de final da chamada.
Duration Duração total da chamada.
Billsec Duração da chamada registrada após atendimento.
Disposition Estado final da chamada, perspectiva da origem.
Rule Regra utilizada no plano de discagem (Dialplan) para a chamada.
Outgoing Called Regras de modificação da identificação do número chamado definido na regra de dialplan (Rule).
Outgoing Callerid Regras de modificação da identificação do número do chamador definido na regra de dialplan (Rule).
Hangup Cause Causa de desconexão da chamada.
Outgoing Source Origem da chamada após cursado pelo plano de discagem (Dialplan).
Outgoing Destination Destino da chamada de chamada após cursado pelo plano de discagem (Dialplan).
Origin Point Code Point Code de origem do elemento de rede envolvido na chamada.
Destination Point Code Point Code de destino do elemento de rede envolvido na chamada.
Release Código de desconexão da chamada.

Configurations

Configurations.jpgNa tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Max number of records stored Quantidade máxima de registros a serem armazenados

Tools

O arquivo .csv pode ser exportado utilizando a ferramenta "Generate CSV", disponível na interface web, a qual disponibilizará todos os registros contidos no equipamento, podendo ser filtrados por período de tempo no momento da exportação.

Tools.jpg

Na tabela abaixo segue as descrição detalhada dos campos exibidos.

Campo Descrição
Clear CDR Remove todos os registros armazenados
Generate CSV Gera arquivo .csv e disponibiliza para download
Download Efetua a cópia do arquivo .csv gerado


Descrição dos campos da tela de consulta dos registros de chamadas no arquivo .csv :

Campo CSV Descrição
src Número de origem da chamada.
dst Número de destino da chamada.
channel Canal de origem utilizado na chamada.
dstchannel Canal de destino utilizado na chamada.
start Horário de início da chamada.
answer Horário do atendimento da chamada.
end Horário de final da chamada.
duration Duração total da chamada.
billsec Duração da chamada registrada após atendimento.
disposition Estado final da chamada, perspectiva da origem.
rule Regra utilizada no plano de discagem (Dialplan) para a chamada.
outgoing_called Regras de modificação da identificação do número chamado definido na regra de dialplan (Rule).
outgoing_callerid Regras de modificação da identificação do número do chamador definido na regra de dialplan (Rule).
hangupcause Causa de desconexão da chamada.
outgoing_src Origem da chamada após cursado pelo plano de discagem (Dialplan).
outgoing_dst Destino da chamada de chamada após cursado pelo plano de discagem (Dialplan).
ss7_opc Point Code de origem do elemento de rede envolvido na chamada.
ss7_dpc Point Code de destino do elemento de rede envolvido na chamada.
release Código de desconexão da chamada.

SFTP

Outra forma de acessar o conteúdo dos registros de chamadas é através de uma conexão SFTP, diariamente no horário 3:00 am, o equipamento disponibilizará um arquivo .csv com todos os registros de chamadas do dia anterior, ao gerar um novo arquivo o anterior é removido. Para efetuar uma conexão SFTP é necessário que o usuário possua "Privilege Level" SFTP.


Sftp.jpg


High Availability


Exibe o estado de cada Node (Master/Spare) dentro do sistema HA.

O estado do recurso para o IP virtual também é exibido.


Status quando HA não está configurado:

System


Exibe o estado dos principais elementos de hardware do sistema, CPU, memória e Disco.


Suporte


Em caso de dificuldade ou caso sejam necessários maiores esclarecimentos sobre as configurações do equipamento utilize nossos canais:

Telefone: (51) 3500-0100
E-mail: suporte@aligera.com.br
Portal: suporte.aligera.com.br
Base de Conhecimento: docs.aligera.com.br
Site: www.aligera.com.br